Cena de segundo plano do jogo

Perguntas e respostas com Amir Satvat, produtor editorial da Amazon Games

23/06/2022

Amir, pensando naqueles que encontraram o sucesso no setor de jogos, não há uma história universal de paixão pessoal ou trajetória de carreira. Você pode nos contar um pouco sobre sua jornada na Amazon Games?

Desde os 4 anos de idade, sonhei em trabalhar com videogames. Resolvi dedicar a minha vida para ter conhecimento nesse campo: Jogando mais de 2.100 títulos, lendo publicações e fóruns do setor, conhecendo pessoas e entendendo como funcionam os jogos e os setores ao redor deles, como comercialização, jogos competitivos e transmídia.

Quando me formei na faculdade, passei 15 anos me candidatando a trabalhos em jogos. Durante esse tempo, havia empregos disponíveis, mas geralmente na Costa Oeste, e eu não estava disposto a me mudar. A única coisa que superava os jogos eram minha família e amigos, que moravam principalmente na Nova Inglaterra.

Resolvi nunca desistir e busquei outras opções interessantes. Passei mais de uma década no banco de investimento, Goldman Sachs, em desenvolvimento de negócios/corporativo e estratégia/operações na Dell EMC, VMware, Comitê de Assessoria e Veeam. Também passei cinco anos na pós-graduação fazendo três mestrados. Sabendo que as habilidades de carreira são altamente transferíveis entre os setores, criei uma linha de base de habilidades que poderia usar no setor de videogames.

Minha carreira na Amazon começou na AWS como COO para os negócios de Vendas Internas e Geração de Demanda (Inside Sales e Demand Generation) nas Américas. No final de 2020, com total apoio dos meus líderes da AWS, fui para a Prime Gaming como líder de desenvolvimento de negócios.

Trabalhar com jogos sempre foi mais do que um trabalho, foi o momento para encontrar amigos nesse setor e conversar sobre tópicos relacionados da maneira como eu sempre quis. Meu tempo na Prime Gaming permitiu isso.

Porém, eu tinha mais um sonho. Embora trabalhar em qualquer capacidade de conteúdo dentro do setor de videogames fosse uma vitória, o grande lance era uma função na produção de jogos. Quando contei aos meus gerentes da Prime Gaming sobre a oportunidade que tenho agora, eles disseram: "Estamos muito felizes e apoiamos você".

Tem sido uma jornada incrível, possibilitada de maneira crítica pela Amazon, desde que joguei meu primeiro videogame (Asteroids no Atari 2600 em 1985).


O que você faz como principal produtor editorial da Amazon Games?

Como produtor editorial do Montreal Studio da Amazon Games, trabalho mais de perto com nossos chefe de estúdio e chefe de produção para garantir que a visão de suas equipes para a produção de jogos ocorra da maneira mais perfeita possível.

Uma grande parte disso é dominar todos os aspectos da produção editorial. Envolve a coordenação entre o estúdio e as diversas peças de nossa organização editorial - como marketing, planejamento de negócios e de demanda, inteligência de negócios, gerenciamento de produtos, jurídico, financeiro e muito mais - para garantir que a movimentação necessária em cada área seja alcançada dentro do prazo e do orçamento. Esse progresso culmina e é testado em várias análises de negócios, bem como em "portões" de produção.

Além do meu trabalho direto no estúdio, eu jogo os jogos dos meus colegas, ofereço sugestões e participo de testes. Também ajudo com a estratégia de nível organizacional e as iniciativas de planejamento.


No que você está trabalhando nesses dias?

Atualmente, estou concentrado em três áreas de projeto.

Principalmente, estou concentrado em todos os aspectos do trabalho tradicional de produção de publicação de títulos para o nosso estúdio em Montreal.

Em segundo lugar, acreditamos que nossa arma secreta é aproveitar o poder da Amazon colaborando com o maior número de empresas dentro e fora da Amazon Games. Para conseguir isso, estamos regularmente envolvidos em discussões entre grupos e marcas da Amazon.

Por fim, nosso chefe de produção me incentivou a assumir um papel de liderança nas atividades de publicação cruzada e a aumentar a colaboração, a escala e a maturidade de nossa organização à medida que crescemos. Alguns exemplos incluem buscar ferramentas de desenvolvimento e colaboração, criar mecanismos e documentos para aspectos do nosso processo de produção e produzir um boletim informativo quinzenal sobre projetos e acontecimentos organizacionais para os líderes da Amazon Games.


Quais foram os jogos mais impactantes que você já jogou e o que está jogando agora?

Estou sempre jogando um pouco de tudo e encontro algo para curtir de todos os desenvolvedores, editores e gêneros. No entanto, se eu dividir minha vida de jogador em escalas levemente sobrepostas e destacar os principais títulos de cada uma, seria assim:

O amor por Console primeiro (1985-1991)

O grande primeiro título desta era foi Pitfall!, o primeiro sucesso da Activision depois de seus desenvolvedores deixarem a Atari. Depois vieram NES e SNES e joguei mais de 80% dos títulos disponíveis em ambas as plataformas. Meus favoritos eram os jogos Mario e Zelda (Super Mario Bros. 1-3, Super Mario World, The Legend of Zelda, The Adventure of Link e A Link to the Past). Cada um desses títulos inventou ou reinventou um gênero.

A Era da Aventura (1989-1996)

Eu adoro jogos de PC também. Nesses anos, empresas como Sierra On-Line, LucasArts, Westwood e InfoCom dominaram a plataforma com jogos de aventura e séries como King’s Quest, Space Quest, Quest For Glory, Monkey Island, Maniac Mansion, Loom, A Lenda de Kyrandia e Zork. Esses títulos me mostraram como uma grande história poderia ser contada e tinham muito humor e personalidade.

Consoles 3D, começo da Banda Larga (1997-2003)

Com a quinta geração dos consoles, chegou a geração 3D. Fiquei principalmente interessado em Super Mario 64, Ocarina of Time, Majora’s Mask, e Final Fantasy VII,para o qual eu comprei minha primeira placa de vídeo. Além disso, a melhoria nos serviços de internet finalmente me permitiram jogar Half-Life com amigos on-line, o melhor FPS que joguei desde DOOM.

A chegada dos MMOs (2004-2012)

Eu já havia jogado muitos MMOs antes, como Ultima, Shadow of Yserbius, e meu queridinho EverQuest, mas fiquei obcecado com World of Warcraft (o jogo que mais joguei de todos os tempos), e até participei de uma das principais guildas de raide por um tempo. Eu me dediquei muito aos MMOs durante esse período, jogando Guild Wars 2, Final Fantasy XI, Star Wars: The Old Republic, Rift, e WildStar.

Os excelentes independentes não param (2013-2017)

Nesse período, o número de obras-primas independentes ficou fora de controle. Eu adorava Cuphead, Journey, Stardew Valley, Shovel Knight e What Remains of Edith Finch. Esses jogos aumentaram muito todos os limites de expectativa de arte e de som em jogos.

A hora de mudar (2018 - presente)

Minhas preferências de jogos voltaram com força (dos meus dias de NES/SNES) com o lançamento do Nintendo Switch, que me lembro ter acampado às 3 da manhã em frente à Target para comprá-lo. Sim, sou um superfã da Nintendo. Eu queria jogar todos os jogos exclusivos de primeira, e consegui. Meus favoritos são Super Mario Odyssey, Breath of the Wild, Fire Emblem: The Three Houses e Animal Crossing: New Horizons. O Switch também me permite colocar novamente mais títulos para toda família na lista, como Lego Star Wars: The Skywalker Saga e Mario Kart 8 Deluxe (agora que temos nossos filhos).


Que conselho você daria para alguém que está querendo trabalhar com jogos?

Nunca é cedo para fazer seu plano de carreira em jogos.

Primeiro, não importa sua idade e, mesmo que leve mais tempo para encontrar um trabalho, você pode começar a jogar e aprender sobre jogos. Você deve sempre considerar ter um conhecimento abrangente de qualquer setor em que queria trabalhar como requisito básico.

Depois, faça a si mesmo estas perguntas, pois elas ajudarão muito em seu plano:

1. Que função quero ter?

Os empregadores apreciam o pensamento antecipado dos candidatos sobre os tipos de trabalho que eles mais gostam. Acesse sites de emprego em videogames. Isso não apenas mostrará que você se dedicou em sua pesquisa, mas também restringirá o número de funções que está procurando.

2. Estou disposto a me mudar para qualquer lugar?

Há muito mais empregos em jogos em cidades como Los Angeles/sul da Califórnia, São Francisco, Austin, Montreal e Seattle do que em outras. Embora muitos estúdios ofereçam trabalho virtual, muitos não fazem isso. Você pode aumentar suas chances de sucesso se sua vida permitir flexibilidade de localização... mesmo que a minha não permitisse.

3. Estou disposto a ir para uma empresa maior e trabalhar em um papel provisório, que não seja em jogos, para depois fazer a transição para jogos?

Descobri que é muito mais fácil fazer uma transferência interna, se você estiver tendo problemas para entrar, do que continuar a se candidatar para trabalhos como um estranho total. Se você estiver disposto a passar alguns anos em uma função alternativa e depois se candidatar lateralmente a funções em jogos, suas chances de sucesso poderão aumentar muito.

4. Estou me candidatando a empregos suficientes?

Regularmente encontro candidatos concentrados em uma "função dos sonhos" e não se candidatam a vagas suficientes. Enquanto tentava encontrar um trabalho em jogos, eu me candidatei a 100-150 empregos por ano (mais de 2.000 no total) para encontrar alguém que me deixasse trabalhar remotamente da Costa Leste. Os trabalhos em jogos estão entre os empregos mais procurados do mundo e você deve vencer o jogo da concorrência. Tente enviar de 5 a 10 candidaturas de alta qualidade por mês, não apenas 1 ou 2.

5. Com o que posso fisgar o empregador além de minha paixão por jogos?

A maioria das pessoas que se candidatam dirá que são apaixonadas por jogos. Certifique-se de ter mais de duas grandes propostas de valor pessoal além disso, que façam você se destacar e que consegue articular bem.

6. Eu realmente amo jogos além de um hobby de fim de semana?

Os membros no setor de jogos são de todos os tipos. Nossa diversidade é nossa maior força, e conheço algumas pessoas com mais de 20 anos no setor de jogos que não jogam nada. No entanto, na minha experiência, um profundo amor por jogos e o desejo de pensar neles o tempo todo geralmente se correlacionam com a permanência no setor em longo prazo. Sugiro que as pessoas que jogam algumas horas por semana se juntem a uma guilda de raide ou a um grupo JxJ, ou apenas aumentem a jogabilidade cinco vezes por algumas semanas para ver se ainda se divertem.